Crédito Agrícola incentiva trabalhos de investigação

. sexta-feira, 2 de fevereiro de 2007
  • Agregar a Technorati
  • Agregar a Del.icio.us
  • Agregar a DiggIt!
  • Agregar a Yahoo!
  • Agregar a Google
  • Agregar a Meneame
  • Agregar a Furl
  • Agregar a Reddit
  • Agregar a Magnolia
  • Agregar a Blinklist
  • Agregar a Blogmarks


“As energias alternativas e a sustentabilidade da economia portuguesa” é o tema do primeiro prémio que a Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Pombal lançou com vista a incentivar o aparecimento de trabalhos de investigação sobre temas relevantes para os concelhos da sua actuação. A iniciativa insere-se nas comemorações do 90º aniversário da Instituição e conta com o apoio da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra.
O prémio destina-se aos estudantes do primeiro ou segundo ciclo de estudos do ensino superior, originários dos concelhos de actuação daquela Caixa Crédito Agrícola (Condeixa-a-Nova, Penela, Pombal e Soure). O júri, presidido pelo pesidente do Conselho Directivo da Faculdade de Economia, privilegiará as obras que incidam sobre metodologias atuais e relevantes para o estudo do tema a concurso.
Os prémios são de 1500, 750 e 500 euros respectivamente para os primeiros três classificados. É, ainda, seu objecto a oferta aos premiados da possibilidade da realização de um estágio na Caixa, bem como a concessão de preferência na contratação, quando em idênticas condições de candidatura, ao preenchimento de vaga posta a concurso.
Os trabalhos concorrente deverão ser apresentados até ao fim do mês de Junho e a decisão sobre a sua classificação deverá ser conhecida até 15 de Julho. A entrega do prémio será feita em cerimónia pública a decorrer durante o mês de Dezembro do corrente ano.
Diamantino Leal, presidente da Direcção da Caixa de Crédito Agrícola de Pombal, justifica a escolha do tema “As energias alternativas e a sustentabilidade da economia portuguesa”. “Por um lado para estimular os estudantes da nossa região à investigação” e por outro “porque a questão energética está na ordem do dia”, refere, acrescentando que “esperamos dar um contributo, modesto é certo, para que a energia eólica, solar, biomassa, entre outras, se possam tornar rapidamente opções válidas e que ajudem a diminuir a nossa dependência energética” até porque “isso também contribuirá para uma maior coesão territorial diminuindo as assimetrias regionais assustadoras que hoje se verificam”.
Aproveitando a cerimónia de assinatura de protocolo entre a Instituição bancária e a Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, Diamantino Leal referiu-se a outra iniciativa em curso também destinada à população estudantil, mais concretamente do 1º Ciclo do Ensino Básico. Trata-se de um concurso de desenho que tem como tema “Poupar o Ambiente”, que será enquadrado no Dia da Árvore e que abrange mais de quatro mil alunos e 250 turmas, “em que temos como parceiros os sete agrupamentos verticais de escolas dos quatro concelhos”. “Novamente a tónica é colocada na questão ambiental e também na necessidade sermos mais eficientes”, refere Diamantino Leal.