24 jovens (6 jovens do município de Soure) vão a tribunal responder por 125 assaltos

. sábado, 26 de maio de 2007
  • Agregar a Technorati
  • Agregar a Del.icio.us
  • Agregar a DiggIt!
  • Agregar a Yahoo!
  • Agregar a Google
  • Agregar a Meneame
  • Agregar a Furl
  • Agregar a Reddit
  • Agregar a Magnolia
  • Agregar a Blinklist
  • Agregar a Blogmarks

Gang rouba 80 carros
.
A média de assaltos era superior a uma dezena por mês. Só automóveis furtados foram 80. Depois, atacavam em cafés, escolas, colectividades, armazéns ou unidades de saúde. O gang, composto por 24 jovens, actuou entre as Caldas da Rainha e Aveiro, foi desmantelado e vai ser julgado em Junho, no Tribunal da Marinha Grande.
.
Os prejuízos provocados pelo grupo são elevados. Segundo a acusação do Ministério Público (MP), divulgada ontem pelo jornal ‘Região de Leiria’, os arguidos actuaram entre Março de 2004 e Fevereiro de 2005 e não olharam a meios para atingir os fins.
.
Furtavam as viaturas para vender às peças ou simplesmente para se divertirem a altas velocidades. Quando já não queriam os veículos, abandonavam-nos danificados ou destruíam-nos como complemento da diversão.
.
Um dos carros foi atirado para um rio, três foram incendiados e 13 estiveram envolvidos em acidentes de viação.
.
Os automóveis eram furtados durante a noite, quase sempre em zonas habitacionais pouco iluminadas ou parques de estacionamento de estabelecimentos de diversão nocturna.
.
De acordo com o MP, o gang era liderado por um homem de 24 anos, natural de Leiria, e tinha normas de actuação bem definidas. Os operacionais recebiam instruções para conduzir a alta velocidade, para não serem seguidos.
.
Sempre que recorressem a caixas de multibanco para levantar dinheiro com cartões furtados, deviam escolher equipamentos sem sistema de videovigilância. Todos deviam usar luvas e gorros.
.
O produto dos assaltos seria canalizado para o líder, que tratava da sua venda e posterior divisão dos lucros.
.
O grupo começa a responder em Tribunal a 25 de Junho, num processo que envolve mais 11 arguidos – indiciados por outros ilícitos criminais – e 175 testemunhas de acusação. A acção criminosa dos jovens estendeu-se a 16 concelhos da zona Centro.
.
TRIBUNAL PEDE SALA EMPRESTADA
.
O elevado número de arguidos, testemunhas e advogados impede que o julgamento se realize nas instalações do Tribunal Judicial da Marinha Grande, estando as audiências previstas para o auditório da Biblioteca Municipal. O agendamento das sessões prolonga-se até ao mês de Setembro e uma delas terá de se efectuar em Agosto, já que os julgamentos não podem ser interrompidos por períodos superiores a 30 dias. Dos muitos lesados pela acção deste grupo, alguns manifestaram intenção de deduzir um pedido de indemnização cível. Entre os queixosos está o Estado, que quer ser ressarcido em perto de 5000 euros pelos furtos e danos provocados em escolas de Soure e Óbidos. O lote de arguidos inclui apenas duas mulheres. As idades oscilam entre os 16 e os 29 anos. São acusados, entre vários crimes, de furto simples, furto qualificado, introdução em lugar vedado ao público, dano, receptação, burla informática, auxílio material e condução perigosa, em co-autoria. Alguns suspeitos respondem também por tráfico ilícito de estupefacientes e falta de habilitação legal para condução de veículos automóveis. A maioria dos acusados (23) tem residência no concelho de Leiria.
.
FIZERAM CINCO FURTOS NUMA SÓ NOITE
.
A actuação do gang teve início com o furto de um automóvel em Alcobaça, em Março de 2004, e só parou em Fevereiro do ano seguinte, após a intervenção das forças policiais. Pelo meio, os jovens são acusados da prática de pelo menos 125 assaltos, nos concelhos de Alcobaça, Ansião, Aveiro, Azambuja, Batalha, Caldas da Rainha, Coimbra, Figueira da Foz, Leiria, Marinha Grande, Nazaré, Óbidos, Ourém, Pombal, Porto de Mós e Tomar. Só numa noite, terão sido responsáveis por cinco furtos. Além dos 80 carros furtados, o grupo está indiciado por furtos em cafés, colectividades, estabelecimentos comerciais, num pavilhão gimnodesportivo e num hospital. Nem uma retroescavadora escapou, apesar da maioria dos elementos do gang não estar habilitado com carta de condução.
.
PROCESSO
.
PRISÃO
.
À data do despacho de acusação, três arguidos estavam em prisão preventiva. Dois encontravam-se em prisão domiciliária e outros dois sujeitos a apresentações periódicas.
.
INVESTIGAÇÃO
.
O processo resulta da apensação de outros 142 processos, numa investigação conduzida pela Procuradoria da República de Leiria. O despacho de acusação tem 336 páginas.
.
CENTRO
.
Do total de indivíduos acusados pelo Ministério Público, 23 têm residência no concelho de Leiria. Seis habitam no município de Soure, três na Batalha, dois em Fátima e um na Marinha Grande.
.
ESCOLHA
.
O recrutamento dos elementos do gang e a escolha dos veículos a furtar era feita pelo líder do grupo, um homem agora com 24 anos.