FUTEBOL - VINHA DA RAINHA

. terça-feira, 28 de agosto de 2007
  • Agregar a Technorati
  • Agregar a Del.icio.us
  • Agregar a DiggIt!
  • Agregar a Yahoo!
  • Agregar a Google
  • Agregar a Meneame
  • Agregar a Furl
  • Agregar a Reddit
  • Agregar a Magnolia
  • Agregar a Blinklist
  • Agregar a Blogmarks

“Com coragem para fazer mais e melhor”

O Vinha da Rainha é caso raro, no contexto do futebol distrital de Coimbra. O clube vive sem sobressaltos e a equipa de futebol alcançou a promoção à Divisão de Honra da AFC.
.
Vinha da Rainha, pequena freguesia do concelho de Soure, conquista, à entrada da nova época desportiva, notoriedade renovada. Ou não fosse a equipa de futebol da terra, ter garantido o direito de disputar, pela primeira vez no seu historial, a Divisão de Honra da Associação de Futebol de Coimbra (AFC) – o mesmo que é dizer, o escalão maior da distrital conimbricense.
.
Os responsáveis revelam, acima de tudo, entusiasmo por este novo desafio, atirando para trás das costas o (habitual) nervosismo de principiante, aguardando até com alguma ansiedade, carregada de entusiasmo, o arranque oficial da nova temporada.
.
Após um ano recheado de alegrias, com um percurso notável na 1.ª Divisão, chegou a altura do Vinha da Rainha medir forças com os melhores. O presidente, Armindo Guardado, parece já ter identificado o segredo do sucesso, garantindo “que as estruturas do clube e da equipa se vão manter”. “Faltam, apenas acertar alguns pormenores em relação ao plantel, algo que estará resolvido no início da competição”, diz.
.
Apesar de acreditar que, neste momento, é este o caminho correcto, o líder do emblema do concelho de Soure não eleva as expectativas em demasia. “Vamos apenas tentar fazer o nosso melhor. Sabemos que estamos num escalão superior, mas vamos tentar fazer igual ao que conseguimos na época anterior”, afirma. “Acho que temos coragem e, acima de tudo, vontade de trabalhar para conseguirmos fazer mais e melhor, o que acredito que é fundamental para o futuro do Vinha da Rainha”, salienta.
.
Alheios à crise
.
“Não temos a possibilidade de fazer muito mais, fazemos apenas o que pudemos”, diz Armindo Guardado numa toada mais modesta. Apesar das dificuldades, sentidas e bem visíveis um pouco por todo o lado, o Vinha da Rainha vive o seu dia-a-dia, algo alheio à chamada crise. “Não sentimos esses problemas todos, já que temos patrocinadores há anos, que nos ajudam de forma essencial”, explica, desejando que espera “que as coisas não mudem”.
.
Esta realidade, reflecte-se também nos resultados desportivos, já que a equipa treinada por Nuno Carvalho tem tido um percurso ascendente, o que culminou com a promoção inédita à Divisão de Honra da AFC.
.
TREINADOR - Nuno Carvalho revela confiança no plantel
.
Nuno Carvalho é um treinador jovem, de apenas 34 anos. Essa condição não lhe retira, no entanto, a confiança no seu trabalho, qualidade que contribuiu decisivamente para a subida à Divisão de Honra do Vinha da Rainha.
.
Logo na segunda época no comando técnico, depois de “uma temporada a preparar algo mais”, Nuno Carvalho pôde festejar, com muito suor e sofrimento, um feito inédito... e muito apreciado por toda a freguesia (e concelho de Soure).
.
Agora, para esta nova fase da sua carreira, o técnico esfria as ambições, apontando “a manutenção” como o único objectivo para a época 2007/ /2008. “Queremos, apenas, realizar um campeonato tranquilo e alcançar a permanência o mais rapidamente possível”, diz. Embora reconheça que “não será fácil”, Nuno Carvalho revela enorme tranquilidade em vésperas da competição, mesmo sabendo “das dificuldades acrescidas, devido a alguma inexperiência deste plantel”.
.
Para começar, os responsáveis do Vinha da Rainha colocaram “mãos à obra”, privilegiando a estabilidade de um grupo vencedor. Assim, a opção passou pela manutenção da maioria de atletas que tantas alegrias, durante o último campeonato, garantiram aos sócios e adeptos. Ainda assim, o Vinha da Rainha conta já com alguns reforços, sobretudo oriundos da distrital vizinha de Leiria. Falta, todavia, encerrar o plantel com a contratação de, pelo menos, mais cinco jogadores.
.
Ainda a “apalpar terreno”, sem saber muito bem com o que contar do outro lado do campo, Nuno Carvalho deixa uma palavra de confiança, confessando-se “convicto de que vamos realizar uma prova positiva”. “Conhecendo este escalão, e mais a nossa equipa, acredito que vamos conseguir”, finaliza.
.
JUNTA DE FREGUESIA - “É uma honra” ter esta equipa de futebol
.
Vinha da Rainha encontra na equipa de futebol um motivo de orgulho. A localidade vibra com os golos e as vitórias. O presidente da junta, António Costa, não é excepção.
.
“Para a freguesia é uma honra ter esta equipa de futebol”. As palavras sentidas de António Costa, presidente da Junta de Freguesia de Vinha da Rainha, são o exemplo do orgulho que a equipa de futebol motiva um pouco por todos os cantos da localidade. Não há, neste momento, em vésperas da estreia na Divisão de Honra da Associação de Futebol de Coimbra, quem fique indiferente a um grupo que já é, unanimemente, considerado uma “bandeira” da terra.
.
No cargo há 14 anos – a cumprir o seu quarto mandato –, o autarca revela o “prazer que é agora ter uma equipa a disputar a principal divisão da distrital de Coimbra”, classificando esta oportunidade de “fantástica”. “Para nós, é uma excelente oportunidade para Vinha da Rainha ganhar visibilidade. Através do futebol, podemos consegui-lo e vamos aproveitar esses benefícios”, afirma.
.
Assumidamente um adeptos do futebol, em especial do clube da terra, António Costa mostra-se “orgulhoso” pelos feitos da equipa treinada por Nuno Cardoso, depois de um percurso notável na 1.ª Divisão distrital 2006/2007.
.
Segundo o presidente, “os feitos da equipa de futebol enchem de satisfação os habitantes de Vinha da Rainha”. “Eu próprio, seguindo o exemplo dos restantes aficcionados, tenho acompanhado e apoiado o clube, de campo em campo, e os resultados desportivos de qualidade têm sido reconhecidos, com o aumento da atenção dispendida por toda a localidade”, refere.
Dentro das limitações da junta de freguesia, o apoio ao Vinha da Rainha é garantido, centrando-se neste caso na manutenção do Campo de Jogos.
.
Apoio (de bom grado)indispensável
.
O apoio que a Junta de Freguesia de Vinha da Rainha garante ao clube resume-se à manutenção do Campo de Jogos.
Desde as contas correntes, até aos tratamentos necessários, a autarquia assegura todas as despesas, libertando assim a colectividade de encargos elevados – que poderiam prejudicar o seu normal funcionamento.
.
“Vamos continuar a dar todo o nosso apoio”, garante, embora reconhecendo as limitações. “Penso que o trabalho da junta de freguesia também tem contribuído para o sucesso, neste caso com a subida de divisão, do Vinha da Rainha”.
.
UMA FREGUESIA COM HISTÓRIA
.
No extremo Noroeste do concelho de Soure, situa-se a Vinha da Rainha. Freguesia com uma área de 20,4 quilómetros quadrados, tem uma população com cerca de 1.600 habitantes. Os testemunhos materiais da ocupação humana remontam ao Neolítico, como atesta o sítio do Forno da Cal escavado pelo arqueólogo Santos Rocha. Em 1494, já era sede de freguesia, como comprova o primeiro assento de casamento realizado na Igreja de Nossa Senhora da Graça. De 1836 a 1844 pertenceu ao concelho da Abrunheira, passando para o de Verride e, depois, para o de Soure. Actualmente, a freguesia que se alonga sobre o Vale do Pranto, mantém na agricultura uma importante fonte de rendimento, cotando-se como uma das freguesias mais agrícolas do concelho, apesar da existência de uma zona industrial em Queitide, área esta que emprega uma grande parte da mão-de-obra disponível na zona.