Jornadas Mágicas vieram para ficar

. quarta-feira, 12 de setembro de 2007
  • Agregar a Technorati
  • Agregar a Del.icio.us
  • Agregar a DiggIt!
  • Agregar a Yahoo!
  • Agregar a Google
  • Agregar a Meneame
  • Agregar a Furl
  • Agregar a Reddit
  • Agregar a Magnolia
  • Agregar a Blinklist
  • Agregar a Blogmarks


As Jornadas Mágicas de Sicó, que tiveram ontem início e decorrem no fim-de-semana, foram consideradas, na sessão de abertura, como um contributo para a estratégia de desenvolvimento da região.
.
Durante a cerimónia de abertura do evento, o mágico Luís de Matos, director artístico das jornadas, disse ontem em Santiago da Guarda, Ansião, que “este será o início de um longo percurso, que cada ano se vai reinventando”. O principal promotor dos encontros, juntamente com os seis municípios das Terras de Sicó, deixou assim a indicação de que o projecto é para continuar, a exemplo dos seus parceiros espanhóis das XIV Jornadas Internacionais de Magia de Zamora, também presentes em Portugal.
.
Também o delegado regional da Cultura, António Pedro Pita, afirmou que esta iniciativa “terá consequências dentro de dois ou três anos”, prognosticando a afirmação territorial das Jornadas Mágicas de Sicó. O facto deste evento estar a percorrer 65 vilas e aldeias dos concelhos de Pombal, Alvaiázere, Soure, Condeixa, Ansião e Penela, comprova a estratégia descentralizadora que a organização anunciou desde o início. Para isso, seis mágicos convidados actuam em praças, largos e anfiteatros ao ar livre para a população local. Cada um percorre entre 20 a 30 quilómetros, de duas em duas horas, num total de cinco perfomances por dia. Localidades como Avelar, Brunhos ou Espinhal vão ser tocadas pela magia hoje de manhã. Outras, como Vila Nova de Anços, Rabaçal e Maças de Dona Maria, recebem os artistas à tarde. E isto são apenas exemplos porque, só hoje, estão agendadas outras 24 actuações, tal como o DIÁRIO AS BEIRAS adiantou ontem, com a publicação do programa completo.
.
O governador civil de Leiria, José Miguel Medeiros, também presente no arranque da iniciativa, confessou que ele próprio é natural e residente na região, reconhecendo que “ainda somos um território com fortes marcas de ruralidade”. Todavia encontrou nas Jornadas Mágicas de Sicó uma nova oportunidade de afirmação das Terras de Sicó, como sinal dos novos tempos, sabendo que, como referiu, o Queijo Rabaçal é uma outra marca conhecida, esta sim, já com tradição.