Livro evoca centenário dos bombeiros de Soure

. domingo, 18 de novembro de 2007
  • Agregar a Technorati
  • Agregar a Del.icio.us
  • Agregar a DiggIt!
  • Agregar a Yahoo!
  • Agregar a Google
  • Agregar a Meneame
  • Agregar a Furl
  • Agregar a Reddit
  • Agregar a Magnolia
  • Agregar a Blinklist
  • Agregar a Blogmarks


No âmbito das comemorações do centenário dos Bombeiros Voluntários de Soure, é hoje lançado um livro que conta a história da corporação, desde a sua fundação, a 19 de Novembro de 1890, até aos dias de hoje.
.
A iniciativa realiza-se hoje à tarde, no salão nobre dos bombeiros, contando com a presença do autor, João Paulo Freitas, licenciado em História pela Universidade de Coimbra e também ele bombeiro na corporação de Soure. O trabalho que vai lançar foi realizado em pareceria com a Câmara Municipal de Soure, onde esteve a estagiar (na biblioteca municipal).
.
O ponto alto das comemorações do centenário acontece, contudo, a 25 de Novembro, com uma cerimónia comemorativa que conta com a presença do ministro da Administração Interna.
.
O hastear da bandeira com guarda de honra, às 9h00, marca o arranque das comemorações deste dia. Segue-se a formatura geral com guarda de honra e a presença da Fanfarra e Corpo Activo dos Bombeiros Voluntários de Soure, bem como os estandartes das corporações de bombeiros do distrito de Coimbra.
.
Pelas 10h15 decorrem as promoções e condecorações a bombeiros, seguidas do tradicional desfile apeado e motorizado. A sessão solene evocativa do centenário acontece às 12h00, altura em que serão feitas algumas condecorações e se assiste à passagem ao Quadro de Honra do subchefe Aníbal Lebre. Um almoço de confraternização marca o encerramento das comemorações.
.
Refira-se que sempre foi convicção que a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Soure tinha sido fundada em 1934, mas investigações no Governo Civil de Coimbra, há dois anos, permitiram chegar à conclusão que a associação tinha sido fundada muitos anos antes, a 19 de Novembro de 1890.
.
Na altura, e em virtude de alguns contratempos, a corporação viu-se impedida de assinalar o “atrasado”centenário. Por isso as comemorações estão a acontecer ao longo deste ano, assinalando os cem anos da corporação que, na realidade são os seus 117 anos.
.
.
In Diário de Coimbra