População do Casal Novo manifestou-se contra a A17

. sábado, 10 de novembro de 2007
  • Agregar a Technorati
  • Agregar a Del.icio.us
  • Agregar a DiggIt!
  • Agregar a Yahoo!
  • Agregar a Google
  • Agregar a Meneame
  • Agregar a Furl
  • Agregar a Reddit
  • Agregar a Magnolia
  • Agregar a Blinklist
  • Agregar a Blogmarks

Cerca de meia centena de pessoas manifestou-se, ontem de manhã, contra o corte que a Brisa ia fazer, na estrada do Casal Novo, para prosseguir com as obras da A17. Sem serem contra «o progresso», os populares afirmavam que o desvio os ia obrigar a percorrer mais 12 quilómetros.
.
A alternativa que lhes era proposta, pela Ribeira de Seiça, «vai obrigar-nos a fazer mais 12 quilómetros para cada lado e assim, ficam afectadas as pessoas do Outeiro, Copeiro, Calvino, Borda do Campo e Louriçal», além de que aquela estrada dá acesso ao concelho de Soure e outros concelhos vizinhos «Tem mais tráfego que a auto-estrada com saída para Anadia, passam centenas de carros», afirmava Manuel Vieira, que não percebia também a postura do presidente da junta «que não nos deu conhecimento», disse este comerciante, para quem «o negócio já está tão mau, que com isto não há quem aguente».
.
A manifestação durou praticamente toda a manhã, sob o olhar atento de uma brigada da GNR do Paião, que ía orientando o trânsito, mas já perto do meio-dia, tudo acabou em bem (ver caixilho), com a chegada do vereador e dos técnicos da Brisal e a população a desmobilizar.
.
.
In Diário de Coimbra