Gang dos automóveis será julgado na Lousã

. quarta-feira, 19 de dezembro de 2007
  • Agregar a Technorati
  • Agregar a Del.icio.us
  • Agregar a DiggIt!
  • Agregar a Yahoo!
  • Agregar a Google
  • Agregar a Meneame
  • Agregar a Furl
  • Agregar a Reddit
  • Agregar a Magnolia
  • Agregar a Blinklist
  • Agregar a Blogmarks

Fonte da GNR disse hoje que o grupo, constituído por cinco rapazes e duas raparigas, praticou cerca de 80 assaltos, entre 2006 e 2007, estando a correr outros processos nas comarcas de Tomar, Condeixa, Penela, Ourém, Ansião, Ferreira do Zêzere.
.
Neste período, os jovens deixaram um rasto de assaltos em Penela, Lousã, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Soure, Figueira da Foz, Montemor-o-Velho, Miranda do Corvo, Ansião, Alvaiázere, Fátima, Ourém e Tomar.
.
Os sete elementos do ‘gang papa-quilómetros’, como ficou conhecido, são acusados pelo Ministério Público (MP) dos crimes de furto simples, furto e uso de veículos, roubo e condução ilegal praticados em vários concelhos da região centro.
.
O processo que vai a julgamento no Tribunal da Lousã abrange apenas 18 crimes, que foram investigados em parceria pelo Núcleo de Investigação Criminal (NIC) da GNR da Lousã e a Polícia Judiciária, entre Novembro de 2006 e Março de 2007.
.
De acordo com a acusação do MP, a que a agência Lusa teve acesso, o grupo furtava viaturas com recurso a gazuas e, noutros casos, assaltava pessoas sob a ameaça de armas brancas e com agressões físicas, obrigando as vítimas a entregar dinheiro, telemóveis e até sapatilhas de marca que traziam calçadas.
.
Quatro elementos do gang viriam a ser detidos pelo NIC da GNR da Lousã, em flagrante delito, no dia 03 de Março, na localidade de Almalaguês (limite dos concelhos de Miranda do Corvo e Coimbra), com um veículo furtado em Coimbra no dia 26 de Fevereiro.
Nessa noite, os agentes do NIC apreenderam três auto-rádios, cinco pares de sapatilhas de marca, nove telemóveis, um par de luvas, um casaco camuflado e 205 euros em dinheiro.
.
Foram ainda apreendidas uma navalha e uma chave de rodas que, segundo fonte da GNR, serviam para ameaçar as vítimas.
.
Os quatro elementos acabaram por ficar em prisão preventiva.
.
Cerca de um mês antes, no início de Fevereiro, três desses jovens tinham sido detidos em Miranda do Corvo, onde reside a maioria dos elementos, numa operação conjunta da PJ e GNR, tendo-lhes o Tribunal aplicado como medida de coação a apresentação semanal no posto da área de residência e a proibição de contactarem entre eles.
.
Na operação, em cumprimento de mandados de busca e detenção, foram recuperados 17 automóveis e um motociclo, caixas de ferramentas, jantes de liga leve, auto-rádios, colunas de som, amplificadores, telemóveis, máquinas fotográficas, ecrãs plasma e 225 euros em dinheiro, obtidos presumivelmente através de diversos crimes de furto.
.
Num dos crimes praticados, em Setembro de 2006, os elementos do gang furtaram em Miranda do Corvo um veículo de marca BMW, avaliado em 30 mil euros, que foi vendido em Lisboa por 1.000 euros, juntamente com 13 cheques trocados por 25 euros cada.
.
Um outro cheque no valor de 8.250 euros, com a data de 2004, roubado do interior do veículo, foi alterado e depositado na conta de um indivíduo do sexo feminino em Rio de Mouro, Sintra.
.
No âmbito deste processo, o MP constituiu ainda arguidos sete receptadores, com recurso a escutas telefónicas, entre eles um mecânico, um vendedor de automóveis e um vigilante, por aquisição de bens «sabendo que eram de proveniência ilícita».
.
Lusa / SOL
.
.