20 milhões em estruturas sociais

. sábado, 29 de março de 2008
  • Agregar a Technorati
  • Agregar a Del.icio.us
  • Agregar a DiggIt!
  • Agregar a Yahoo!
  • Agregar a Google
  • Agregar a Meneame
  • Agregar a Furl
  • Agregar a Reddit
  • Agregar a Magnolia
  • Agregar a Blinklist
  • Agregar a Blogmarks

O distrito de Coimbra vai receber este ano 20 milhões de euros em equipamento social, consagrado no programa PARES (Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais). Este valor corresponde a 5% da verba contratualizada para todo o país para equipamento social (400 milhões de euros). Um dos maiores financiamentos vai para a rede de creches, com a criação de mais 800 lugares para o distrito.
.
O secretário de Estado da Segurança Social, Pedro Marques, considera que o distrito de Coimbra "está a fazer uma aposta estratégica bem estruturada" e dá o exemplo da rede de creches, "onde o distrito está muito acima da média nacional, com uma cobertura na ordem dos 46%". Para o secretário de Estado, esta aposta é importante "porque permite que os casais pensem no futuro e consigam a conciliação da vida familiar e profissional". Pedro Marques congratula-se ainda com o facto de "as instituições de Coimbra estarem à altura dos desafios lançados pelo Governo, e serem capazes de fazer o que tem de ser feito com o PARES".
.
Para o secretário de Estado, o financiamento está conseguido mas não chega. "Agora cabe às instituições apertar com projectistas, engenheiros e arquitectos, para que as obras sejam feitas rapidamente e estejam ao serviço de quem mais precisa", sublinha.
.
No total, estão consagrados 1870 lugares em equipamentos sociais para o distrito de Coimbra no programa PARES. A assinatura dos contratos foi feita ontem no Governo Civil, sendo 13 as instituições contempladas. Entre as entidades envolvidas, contam-se a Cáritas Diocesana de Coimbra, a Santa Casa da Misericórdia de Coimbra, Cantanhede e Soure, o Centro Sócio-Cultural Polivalente de S. Martinho e a ARCIL - Associação para a Recuperação dos Cidadãos Inadaptados da Lousã.