Acidente bloqueou auto-estrada do Norte

. sexta-feira, 13 de junho de 2008
  • Agregar a Technorati
  • Agregar a Del.icio.us
  • Agregar a DiggIt!
  • Agregar a Yahoo!
  • Agregar a Google
  • Agregar a Meneame
  • Agregar a Furl
  • Agregar a Reddit
  • Agregar a Magnolia
  • Agregar a Blinklist
  • Agregar a Blogmarks

A auto-estrada do Norte esteve cortada durante cerca de uma hora, ontem ao final da manhã, inviabilizando a circulação de qualquer viatura, na sequência de um acidente, que envolveu um pesado de mercadorias e um ligeiro de passageiros.
O acidente verificou-se às 11h30, no sentido Norte-Sul, ao quilómetro 168,200, na zona de Casconho, Soure. A viatura ligeira terá embatido lateralmente no pesado e o condutor perdeu o controlo da viatura. O embate acabou por provocar também algum “descontrolo” ao camião, que ficou atravessado em ambas as faixas de rodagem, ocupando, também, a via de emergência, bloqueando por completo a via e inviabilizando a passagem de qualquer viatura.
Apesar do aparado, o acidente apenas provocou danos materiais. Carlos Tavares, segundo comandante dos Bombeiros Voluntários de Soure, que esteve no local a superintender as operações, confessa a sua surpresa. «Foi um milagre», diz, sublinhando que o ligeiro ficou sem o rodado da frente, com uma das rodas a ser localizada a mais de cem metros da viatura. «O condutor saiu do carro sem uma beliscadura», refere ainda Carlos Tavares, considerando «extraordinário não haver mortos nem feridos».
O facto do camião ter ficado atravessado na via obrigou a morosas manobras, no sentido de permitir a reabertura da circulação. De acordo com fonte da Brigada de Trânsito, o trânsito esteve completamente cortado, no sentido Norte-Sul, durante uma hora, sendo os condutores aconselhados a saírem no nó de Condeixa e prosseguirem pela nacional N.º 1 (IC-2) para sul, em direcção a Pombal, onde podiam retomar a auto-estrada. Entretanto, o trânsito acumulou-se, provocando uma imensa fila que quase chegou à saída para Condeixa. Uma hora depois foi possível proceder à abertura da via da esquerda, permitindo que o trânsito começasse a fluir, embora condicionado.
Depois da remoção do pesado, foi possível abrir a vida da direita, sendo de novo fechada a via da esquerda, uma “manobra” necessária, não apenas para retirar as viaturas do local, mas também para garantir a recuperação do separador central, que ficou praticamente destruído. Uma operação que se prolongou até ao princípio da tarde, mas que já não teve implicações na normal fluidez do trânsito.Os Bombeiros de Soure, que foram para a auto-estrada à espera do pior, acabaram por não ter qualquer intervenção ao nível de socorro, centrando as suas atenções no apoio à Brisa e à Brigada de Trânsito para assegurar, de forma célere, a remoção das viaturas.
No local estiveram 12 bombeiros dos Voluntários de Soure, uma ambulância, um carro de desencarceramento, um carro de comando e um pronto-socorro médio, usado para a limpeza da via.
.
In Diário de Coimbra