Festival Internacional de Magia de Rua decorre entre 5 e 7 de Setembro, ao mesmo tempo

. terça-feira, 26 de agosto de 2008
  • Agregar a Technorati
  • Agregar a Del.icio.us
  • Agregar a DiggIt!
  • Agregar a Yahoo!
  • Agregar a Google
  • Agregar a Meneame
  • Agregar a Furl
  • Agregar a Reddit
  • Agregar a Magnolia
  • Agregar a Blinklist
  • Agregar a Blogmarks

No adro da igreja, no mercado, no jardim, no largo da feira. A magia vai sair à rua nos locais mais improváveis de cada um dos seis municípios que constituem as Terras de Sicó (Alvaiázere, Ansião, Condeixa-a-Nova, Penela, Pombal e Soure). Será nos dias 5, 6 e 7 de Setembro, durante as Jornadas Mágicas de Sicó. Será o II Festival Internacional de Magia de Rua, uma iniciativa da associação Terras de Sicó, produzida pelo mágico Luís de Matos que ontem, durante a apresentação, reforçou a ideia da originalidade do evento.

«São (as jornadas) singulares, originais e sem paralelo», disse o mágico, durante a apresentação no Museu da Villa Romana do Rabaçal. E porquê? Porque, justificou, é um festival que vai proporcionar espectáculos de magia «em simultâneo, à mesma hora, no mesmo dia e em seis concelhos». «É algo absolutamente singular, nunca antes experimentado», reforçou. Para além disso, acrescentou o mágico natural de Ansião, os espectáculos não decorrem em grandes salas ou teatros, mas antes nos locais «mais insuspeitos», permitindo ao público interagir com a «monumentalidade deste território».

Ao todo estão previstos 89 espectáculos de magia de rua em 51 locais diferentes. Os mágicos presentes também foram seleccionados «com todo o cuidado», tendo em conta que teriam de ser profissionais que se adaptassem a exibições sem grandes tecnologias ao nível de som e palco. E os nomes escolhidos são Brando y Silvana, da Argentina, Carlos Adriano, de Espanha, Don Legafe, de França, Mad Martin, da Argentina, Nick Nickolas, da Austrália, e Rafael Benatar, da Venezuela.A experiência já se realizou no ano passado, com resultados absolutamente acima das expectativas. 10 mil espectadores passaram pelas várias exibições de rua, chegando-se a atingir os 500 por sessão. «Houve famílias inteiras a acompanhar os espectáculos de manhã à noite», recordou, lembrando ainda que a magia de rua em Sicó permitiu-lhes «conhecer os recantos que se calhar nunca tinham reparado que existiam». Por isso a fasquia para este ano subiu e os 10 mil espectadores é a meta «mínima». «Esse é um dos desafios», disse Luís de Matos.

Sobre as Jornadas Mágicas de Sicó, o presidente da Câmara de Penela descreveu-as em três palavras: «história, talento e esperança». A «história» dos locais onde decorrem os espectáculos, o «talento» de Luís de Matos, «o maior no que diz respeito a magia em Portugal», ao produzir este evento, e a «esperança viva» que se mantém no território de Sicó de «ser mais competitivo». Uma opinião que o presidente da Terras de Sicó, Fernando Marques, partilhou. «Este festival faz parte do nosso trabalho de valorização de território, de potenciar aquilo que temos e oferecer cada vez mais qualidade de vida», afirmou.

In Diário de Coimbra

by Margarida Alvarinhas