"MAIS CENTRO" APROVA CANDIDATURA DA TERRAS DE SICÓ AO PROVERE

. quarta-feira, 13 de agosto de 2008
  • Agregar a Technorati
  • Agregar a Del.icio.us
  • Agregar a DiggIt!
  • Agregar a Yahoo!
  • Agregar a Google
  • Agregar a Meneame
  • Agregar a Furl
  • Agregar a Reddit
  • Agregar a Magnolia
  • Agregar a Blinklist
  • Agregar a Blogmarks


O «Mais Centro» - Programa Operacional Regional do Centro 2007-2013 - aprovou uma candidatura da Terras de Sicó – Associação de Desenvolvimento ao PROVERE - Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos - no sentido de estimular iniciativas dos agentes económi¬cos orientadas para a melhoria da competitivi¬dade territorial de áreas de baixa densidade, que visam dar valor económico a recursos endóge¬nos e tendencialmente inimitáveis dos territórios.

Com este instrumento apoiam-se programas de acção, construídos em parceria e enquadrados em estratégias de desenvolvimento de médio e longo prazo, que contribuem de forma decisiva para o reforço da base económica e para o aumento da atractivamente dos territórios-alvo.

A Terras de Sicó – Associação de Desenvolvimento candidatou-se com uma proposta associada a um Programa de Valorização Económica dos Espaços da Romanização existentes no território, tendo como actores-chave os agentes públicos e privados que, em torno de uma temática singular e de forte valor simbólico e patrimonial, se propõem dinamizar no contexto da economia local/regional. O foco temático é o eixo da Romanização e é em torno deste valor que se estruturarão projectos âncora e projectos complementares, orientados para a densificação do tecido económico e a maximização da competitividade, nomeadamente através de actividades geradoras de emprego e atractivas do ponto de vista residencial e turístico.

Até Outubro, a Terras de Sicó deverá concluir a 2ª fase da candidatura, apresentando o seu Plano de Acção, onde identificará os projectos públicos e privados bem como a estratégia ao programa associada.

Nesta fase, a Terras de Sicó e os seus parceiros de referência iniciaram os primeiros passos na consolidação do projecto, identificando como objectivo a criação de um Parque Temático denominado “VILLA SICÓ”, polinucleado, sem recinto fechado e constituído por uma rede de elementos específicos anteriormente identificados. Este Parque Temático será um caminho essencial para desenvolver uma estratégia de desenvolvimento integrado do turismo cultural na Região Centro.

OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS

O cumprimento da estratégia associada implica a responsabilização de todos os parceiros e agentes locais em torno da valorização económica do recurso identificado e a mobilização dos mesmos numa rede de interacção e interdependências sectoriais, capazes de aumentar progressivamente o valor acrescentado e os mercados alvo do produto oferecido.

A promoção do desenvolvimento local centrar-se-á em sectores de actividade seleccionados com especial ênfase naqueles a que, alinhados com os desígnios nacionais, estejam associados a um maior potencial competitivo, sejam eles de sectores já perfeitamente implantados ou sectores emergentes, que possam beneficiar, para o seu crescimento, das condições favoráveis existentes no território e no recurso endógeno que se pretende valorizar.

A cooperação entre entidades municipais e supramunicipais, entre empresas, administração e instituições de ensino e IDI é um factor indispensável para que se consolide a economia de conhecimento de base regional/concelhia e se dinamize o mercado de trabalho.

De acordo com o enquadramento do PROVERE e tendo em consideração o eixo da romanização enquanto produto endógeno/marca distintiva, assumem-se como objectivos estratégicos (OE) da ideia PROVERE para as Terras de Sicó os seguintes:

OE 1. Criar um produto turístico diferenciado que, de forma inovadora, entre nas rotas turísticas culturais a nível nacional e internacional:

i. Apostar nas diferença, ousar inovar no sector turístico, adaptando modelos de projecto e marketing empresarial associados a parques temáticos a um território alargado, modelo intermunicipal;
ii. Criar tecnologias que permitam tornar este parque temático inovador, num apelativo espaço de descoberta e de promoção e difusão culturais;
iii. Valorizar a investigação científica para que este parque possa ir evoluindo territorial e sectorialmente, com novos espaços da romanização ainda por descobrir e com novas tecnologias que diversifiquem as possibilidades de vivência, visita e apropriação cultural dos espaços.

OE 2. Densificar a base económica local/regional em sectores estruturais do ponto de vista do sucesso do produto turístico âncora:

i. Identificar os sectores/agentes económicos estratégicos, complementares ao produto turístico-âncora e motivá-los para uma nova abordagem de negócio alinhada com o foco temático PROVERE, a “Villa Sicó”;
ii. Criar projectos complementares para estruturação de uma rede de empresas, nos sectores estratégicos (nesta fase do trabalho foram identificadas as indústrias de base tecnológica, especializadas em conteúdos de geo-referenciação temática e realidade virtual, as empresas do ramo hoteleiro, nomeadamente alojamento e restauração e as empresas do sector criativo/cultural);
iii. O envolvimento dos parceiros será estruturado em projectos que visam a renovação/adaptação do tecido empresarial existente e também a captação/criação de novas empresas.

ÁREAS/SECTORES DE APOSTA COM POTENCIAL ECONÓMICO

Com a definição dos objectivos estratégicos foi possível avançar com a identificação das áreas/sectores de aposta com potencial económico e que determinarão o sucesso da futura EEC, cujas bases se estão agora a construir.

A Visão estratégica tem como enfoque a importância da inovação e da valorização de actividades criativas, mesmo que para tal seja necessário romper com padrões socioeconómicos pré-estabelecidos. Os objectivos estratégicos traçam os dois grandes desígnios PROVERE para as Terras de Sicó, cujo alcance depende da capacidade de, desde já, serem definidas áreas de actuação temática, que permitam evitar a dispersão de esforços na valorização económica dos nossos recursos.

Ou seja, identificado o projecto âncora que envolve a definição do território, recursos específicos do “parque temático Villa Sicó” e recursos potencialmente complementares, é essencial encontrar as áreas temáticas de alavancagem da ideia agora preconizada e posterior EEC. A identificação e envolvimento dos parceiros e a consequente renovação base da economia local, passam pela explicitação e capacidade de mobilização em torno de quatro Áreas Temáticas (AT), com efeitos temporalmente distintos na base económica local.

AT 1. Inovação Tecnológica (infra-estrutura e equipamento avançado de suporte à visitação e exploração de conteúdos temáticos em projectos de base tecnológica);

AT 2. Investigação Arqueológica (exploração, intercâmbio e turismo científico ancorado nos espaços já descobertos e a descobrir em Sicó, partilha de boas práticas a nível internacional);

AT 3. Sector Hoteleiro (especial enfoque para o alojamento e restauração que se deverão qualificar e especializar num produto distinto e competitivo gerido tendencialmente em rede);

AT 4. Sector Criativo (economia criativa (creative clusters network).

PROJECTO ÂNCORA E PROJECTOS COMPLEMENTARES

Criação do PARQUE TEMÁTICO “VILLA SICÓ”, incluindo intervenções materiais no território (“villas romanas” e espaços de ligação), desenvolvimento de tecnologia virtual e organização de eventos internacionais.

Como projectos complementares, identificámos nesta primeira fase, num contexto de avaliação/progresso de assunção de novos projectos, os seguintes:

• Projecto de estruturação e desenvolvimento da rede de alojamento;
• Projecto de estruturação e desenvolvimento da rede de restauração;
• Projecto de desenvolvimento do sector criativo;
• Projecto de investigação e de intercâmbio científico;
• Projecto de valorização integrada de produtos endógenos.
.
In www.cm-soure.pt