Pauliteiros de Vila Nova de Anços

. sábado, 23 de agosto de 2008
  • Agregar a Technorati
  • Agregar a Del.icio.us
  • Agregar a DiggIt!
  • Agregar a Yahoo!
  • Agregar a Google
  • Agregar a Meneame
  • Agregar a Furl
  • Agregar a Reddit
  • Agregar a Magnolia
  • Agregar a Blinklist
  • Agregar a Blogmarks


É um dos grupos de folclore mais antigos do país, com sede em Coimbra

O Grupo de Pauliteiros de Vila Nova de Anços, instituição que conta já 73 anos de vida no concelho de Soure, distrito de Coimbra, participa, a partir das 22 horas de hoje, no Festival Internacional de Folclore de Santa Catarina, iniciativa que se integra no calendário de um fim-de-semana que recheia a cidade algarvia de danças e cantares, já que, a par deste festival, agendado para o lugar de Fonte do Bispo, decorrerá também, e em simultâneo, o XXXI Festival Internacional de Folclore da Luz de Tavira, que contará com a participação de outros grupos tradicionais, no Largo da República.

No passado dia 15, os Pauliteiros de Vila Nova de Anços completaram 73 anos sobre a data da sua formação. São, por isso, um dos grupos de folclore mais antigos do nosso país, e mantiveram desde sempre a chama da regularidade. Conhecidos e prestigiados aquém e além fronteiras, tais são as solicitações para actuar nos mais diversos pontos do país e até lá fora, os Pauliteiros de Vila Nova de Anços têm dificuldade em escapar à comparação com os de Miranda do Douro – a maioria dos portugueses desconhece até a existência de outros grupos de pauliteiros, de outras proveniências –, mas frisam que têm características muito próprias. Desde logo o traje, mais sóbrio e menos garrido do que o do grupo transmontano. Também os paus com que se apresentam em palco nos espectáculos, mais curtos do que os utilizados pelos dançarinos mirandeses (medem apenas 60 centímetros de comprimento e cerca de três de diâmetro), são pintados de branco, com listas vermelhas, e nas extremidades têm o azul e o amarelo (as cores da freguesia), enquanto no topo ostentam duas fitas em cruz, com as cores de Portugal.

Texto e foto: Jornalista Carla Teixeira