Carlos Páscoa renuncia ao cargo de Vereador na Câmara de Soure

. sábado, 14 de fevereiro de 2009
  • Agregar a Technorati
  • Agregar a Del.icio.us
  • Agregar a DiggIt!
  • Agregar a Yahoo!
  • Agregar a Google
  • Agregar a Meneame
  • Agregar a Furl
  • Agregar a Reddit
  • Agregar a Magnolia
  • Agregar a Blinklist
  • Agregar a Blogmarks


O social-democrata Carlos Páscoa surpreendeu o executivo ao renunciar ao cargo de Vereador da Câmara Municipal de Soure para deixar “espaço aberto” ao novo candidato à autarquia.



Carlos Páscoa aproveitou o final da reunião camarária de hoje (12 de Fevereiro)para apresentar a sua renúncia ao cargo de Vereador, tendo surpreendido o executivo liderado por João Gouveia.


O Vereador, que nas últimas eleições encabeçou a lista do PSD, apenas justificou a sua decisão com o facto de deixar “espaço aberto” ao novo candidato do PSD, que “será apresentado muito em breve”. Depois, cumprimentou todo o executivo e deixou um “abraço de consideração e respeito” aos dois companheiros de bancada, Fernando Martinho e Aurindo Santos.


João Gouveia não escondeu a sua surpresa e desejou-lhe “as maiores felicidades a título profissional e pessoal”, já que do ponto de vista político...


O seu lugar será ocupado por Maria Cidália Tavares ou Vítor Espírito Santo, já que em Outubro de 2007 quando Páscoa suspendeu o mandato por 120 dias Maria Cidália não ocupou o lugar na vereação.


Carlos Páscoa, administrador da Fundação Bissaya Barreto e ex-presidente da Concelhia de Coimbra do PSD, foi presidente da Assembleia Municipal de Soure, tendo nas últimas autárquicas encabeçado a lista à Câmara Municipal, numas eleições marcadas pela “transferência” de João Gouveia do PSD para o PS.


No final da reunião camarária, em declarações ao Notícias do Centro, Carlos Páscoa não adiantou mais justificações para a sua decisão, reforçando a argumentação de deixar espaço para que o PSD possa preparar a candidatura às próximas eleições. Questionado sobre o seu envolvimento no processo autárquico, ou mesmo se iria recandidatar-se à presidência, Carlos Páscoa foi evasivo tendo apenas referido que está disponível para aquilo que o partido entenda que possa ser útil, adiantando que é “um militante disciplinado”.

In Notícias do Centro