Dois mortos e dois feridos em colisão frontal no IC2

. quarta-feira, 18 de março de 2009
  • Agregar a Technorati
  • Agregar a Del.icio.us
  • Agregar a DiggIt!
  • Agregar a Yahoo!
  • Agregar a Google
  • Agregar a Meneame
  • Agregar a Furl
  • Agregar a Reddit
  • Agregar a Magnolia
  • Agregar a Blinklist
  • Agregar a Blogmarks


Vítimas mortais, residentes no concelho de Soure, seguiam no mesmo automóvel


Dois mortos e dois feridos é o resultado de uma violenta colisão frontal, entre um automóvel e uma carrinha ligeira de mercadorias. Aconteceu ao início da tarde desta terça-feira, no IC2, na zona de Cernache, em Coimbra.


Armando Pocinho seguia ao volante do seu Opel Corsa verde, no sentido Norte-Sul, com duas passageiras, quando uma viatura ligeira de mercadorias que circulava em sentido contrário terá invadido a sua faixa de rodagem. Assim crê o Destacamento de Trânsito da GNR de Coimbra, que esteve no local. Faltavam poucos minutos para as 14 horas e Armando, residente em Pouca Pena (Soure), tal como as duas mulheres, foi a primeira vítima mortal.


As ocupantes do automóvel, de 54 e 49 anos, e o condutor da carrinha, de 27, deram entrada nas Urgências do Hospital dos Covões, em Coimbra, às 15 horas. A mulher mais nova não resistiu aos traumatismos graves e acabou por morrer também, informou, em nota escrita, o Gabinete de Imprensa do Centro Hospitalar de Coimbra, que integra o Hospital dos Covões.


De acordo com a mesma nota, a sobrevivente, de 54 anos, deu entrada com "ferimentos ligeiros a moderados", está "consciente e estável", mas "permanece sob vigilância médica". O condutor da carrinha, por seu lado, ficou ferido sem gravidade e está "a receber acompanhamento psicológico". O responsável pela comunicação da Câmara de Soure confirmou ao JN que os três ocupantes do Opel Corsa são da localidade de Pouca Pena, no concelho. E acrescentou que Armando Pocinho viajaria com a esposa e outra mulher, não sabendo precisar qual delas perdeu a vida.


O sinistro ocorreu ao quilómetro 181,7 do IC 2, que liga Lisboa ao Porto. A via esteve cortada até cerca das 15 horas, com o trânsito a ser desviado, em ambos os sentidos, sem complicações, explicou o comandante do Destacamento de Trânsito da GNR de Coimbra, Pedro Rosa. Às 16 horas, já se circulava sem restrições no sentido Sul-Norte. E, cerca de meia hora depois, o trânsito voltou a fluir com normalidade.


O JN encontrou, no local, um rasto de destruição que reflecte a violência do embate. O Opel Corsa em que seguiam as duas vítimas mortais ficou com a dianteira totalmente desfeita. No chão, uma mistura de peças de automóvel e objectos de uso quotidiano, como um maço de lenços de papel.


Fonte dos Bombeiros Voluntários de Coimbra, uma das corporações chamadas ao local, disse ao JN que o condutor da carrinha de mercadorias saiu pelo próprio pé, enquanto as duas mulheres, em estado de choque, "estavam praticamente inconscientes: não falavam". O condutor do automóvel, o primeiro a falecer, teve de ser desencarcerado.


As duas mulheres apresentavam politraumatismos graves e o condutor da carrinha traumatismos na face e no tórax, informou, ainda, fonte do Gabinete de Comunicação do INEM.


O acidente mobilizou duas viaturas dos Sapadores de Coimbra, uma dos Bombeiros Voluntários de Coimbra e duas dos Voluntários de Condeixa-a-Nova. O INEM também deslocou, para o local, duas Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação (VMER).


In Jornal de Notícias
00h30m
CARINA FONSECA
.
Foto: Diário de Coimbra