Pombal, Ansião e Soure registaram excesso de ozono

. segunda-feira, 1 de junho de 2009
  • Agregar a Technorati
  • Agregar a Del.icio.us
  • Agregar a DiggIt!
  • Agregar a Yahoo!
  • Agregar a Google
  • Agregar a Meneame
  • Agregar a Furl
  • Agregar a Reddit
  • Agregar a Magnolia
  • Agregar a Blinklist
  • Agregar a Blogmarks


A Comissão de Coordenação e de Desenvolvimento Regional do Centro informa que vários concelhos do Centro Litoral registaram concentrações de ozono acima dos 180 mg/m3 de ar.

Ansião, Pombal e Soure foram alguns dos concelhos da zona Centro Litoral que registaram ontem, domingo (31 de Maio) concentrações de ozono acima de 180 microgramas por metro cúbico de ar (mg/m3), segundo informou a Comissão de Coordenação e de Desenvolvimento Regional do Centro (CCDR-Centro).

Nos concelhos de Águeda, Anadia, Ansião, Batalha, Cantanhede, Coimbra (excepto as freguesias de Almedina, Santa Cruz, São Bartolomeu, Sé Nova, Eiras, Santa Clara, Santo António dos Olivais, São Martinho do Bispo) e Condeixa-a-Nova foram registados níveis de concentração de ozono superiores a 180 (mg/m3), definido como limiar de informação ao público para este poluente.

Uma situação também verificada nos concelhos de Leiria, Lousã, Marinha Grande, Mealhada, Mira, Miranda do Corvo, Montemor-o-Velho, Oliveira do Bairro, Penacova, Penela, Pombal, Porto de Mós, Sever do Vouga, Soure, Vagos, Vila Nova de Poiares, segundo um comunicado do CCDR-Centro, tutelado pelo Ministério do Ambiente, do Ordenamento do Território e Desenvolvimento Regional.

A estação de medição de Ervedeira, no concelho de Leiria, registou uma média de 194 microgramas por metro cúbico das 15:00 às 16:00, de 195 entre as 16:00 e as 17:00, de 186 entre as 17:00 e 18:00, e de 196 das 19:00 às 20:00, refere o mesmo documento.

As concentrações de ozono acima de 180 microgramas por metro cúbico de ar obrigam a uma informação ao público, já que a partir daquele limite pode provocar efeitos na saúde (mesmo em caso de exposição de curta duração), especialmente nos grupos mais sensíveis, lembra a Comissão de Coordenação e de Desenvolvimento Regional do Centro.

In Notícias do Centro